Otimizando o Fedora 8

Pretendo começar aqui com uma série de artigos de configuração para melhorar o desempenho no Fedora 8. A maioria das dicas poderá ser usadas sem problemas em outras versões do Fedora ou mesmo em outros Linux, mas tudo o que eu mostrar aqui foi feito e testado num Fedora 8.

Otimizar uma distribuição Linux é uma tarefa que pode variar de simples, onde qualquer usuário acostumado com Linux poderá fazer, até o nível extremamente complicada, onde mesmo os experientes podem ter dores de cabeça.

Um método relativamente simples de otimizar o desempenho de uma distribuição é desabilitando serviços não utilizados.

No Fedora, podemos utilizar a ferramenta “system-config-services” para isso:

system-config-services

Tela do system-config-services no Fedora 8

Nesta ferramenta, basta desmarcar os serviços que não precisamos, salvar as alterações e no próximo boot o Fedora não irá mais carregar estes serviços, diminuindo com isso o tempo de boot e liberando recursos, como memória e ciclos de cpu.

Uma dica é manter apenas os serviços realmente necessários, de acordo com o uso da máquina (notebook, desktop, servidor, etc).

Para meu Desktop, mantenho apenas os serviços ConsoleKit, acpid, auditd, avahi-daemon, cpuspeed, haldaemon, messagebus, network, nvidia-96xx, restorecond, rsyslog, setroubleshoot, udev-post e yum-updatesd. Sei que poderia desabilitar mais alguns, mas os mantive para manter certas facilidades no Desktop (ConsoleKit, para manter a troca rápida de usuário, e yum-updatesd, para me avisar de atualizações). Aqui tem uma lista, em inglês, com explicações sobre boa parte dos serviços disponíveis para o Fedora 8 (sugestão de link enviada por Paulo Cavalcanti, da lista fedora-users-br).

Como sou aficcionado por segurança, também mantenho o SELinux habilitado, mas caso não utilizasse, também não iria precisar dos serviços setroubleshoot e restorecond. Desabilitar o SELinux em um Desktop não torna a máquina vulnerável, apenas diminui um pouco a segurança (para uso doméstico muita segurança pode ser paranóia, é o meu caso). Desabilitar o SELinux também melhora o desempenho da máquina pois o kernel não precisa fazer diversas verificações que o SELinux exige.

Para desabilitar o SELinux, edite o arquivo /etc/sysconfig/selinux e mude a linha que contém SELINUX para SELINUX=disabled e reinicie a máquina.

Para facilitar a vida do usuário, o Fedora também carrega alguns programas automaticamente junto ao Gnome ou KDE, como exemplo, gerenciador para dispositivos Bluetooth. No Gnome, você pode utilizar o Gerenciador de Sessões para desabilitar esses serviços.

Gerenciador de Sessões do Gnome

Gerenciador de Sessões do Gnome no Fedora 8

Para acessar o Gerenciador de Sessões, vá no menu Sistema, Preferências, Pessoal e Sessões.

Nele, desabilite o que não utilizar. Aqui eu desabilitei somente o Gerenciador Bluetooth mas se não usasse o SELinux e o setroubleshoot não iria precisar do SELinux Troubleshooter também. Caso tivesse desabilitado o yum-updatesd, também poderia desabilitar o Notificador de Atualização de Programas.

Desabilitando alguns desses serviços, o Gnome irá iniciar mais rapidamente e também irá utilizar menos recursos da máquina.

Ainda no Desktop, podemos parar de utilizar os Efeitos 3D. Eles são bonitos, impressionam quem vê, mas ocupam muitos recursos da máquina. Para desabilitar, basta entrar no menu Sistema, Preferências, Visual e Comportamento e Efeitos da Área de Trabalho e “desclicar” o botão Habilitar Efeitos da Área de Trabalho.

Para quem gosta de se aventurar um pouco mais (ou de economizar alguns kbytes extras), ainda pode-se desabilitar os terminais virtuais do console (ou modo texto, como queiram). Para isso, basta editar o arquivo /etc/inittab, e comentar (adicionar um “#” no começo) as linhas dos ttys (as que contém 6:2345:respawn:/sbin/mingetty tty1) e executar o comando init -q. Normalmente eu mantenho somente 2 ttys ativos (comento do 3 ao 6) e com isso eu economizo uns 400Kbytes por tty desabilitado.

Pode-se obter algum desempenho extra alterando alguns parâmetros no sistema de arquivos Ext3, editando os scripts de inicialização, recompilando alguns pacotes … mas isto ficará pra um próximo artigo :)

3 comentários em “Otimizando o Fedora 8”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *