Dica 13: Configurando o Samba, com SWAT, no Conectiva

SAMBA – Implementação do protocolo SMB no Linux

Este tutorial foi feito baseado no Conectiva 7, foi testado no 7 e 5, mas deve funcionar com pouca ou nenhuma modificação em outras versões do Conectiva ou mesmo em outros Linux.

SMB (Server Message Block, também conhecido como NetBIOS) é o protocolo usado pelo Microsoft Windows 3.11, Windows NT (NT 4, XP, 2000 e 2003) e Windows 9x para compartilhar discos e impressoras. Com o conjunto de ferramentas SAMBA, máquinas Linux podem compartilhar discos e impressoras com estações Windows. Existem quatro operações básicas que podem ser realizadas com o uso do SAMBA:

Compartilhar um drive (ou diretório) Linux com máquinas Windows

Acessar um compartilhamento SMB com máquinas Linux

Compartilhar uma impressora Linux com máquinas Windows

Compartilhar uma impressora Windows com máquinas Linux

Para configurar um servidor SAMBA no Linux, usaremos uma ferramenta chamada SWAT (Samba Web Administration Tool, ou Ferramenta Web de Administração do Samba).

A utilização do SWAT requer um browser (no nosso caso usaremos o Netscape).

Habilitando o SWAT

Edite o arquivo /etc/inetd.conf com seu editor favorito e procure pela linha:

#swat stream tcp nowait.400 root /usr/sbin/swat swat

Descomente-a (retire o # do começo), deixando-a assim:

swat stream tcp nowait.400 root /usr/sbin/swat swat

Reinicie o inet:

/etc/rc.d/init.d/inet stop
/etc/rc.d/init.d/inet start

Se após o inet start aparecer uma mensagem [ ok ], você já pode começar a configurar o SAMBA via SWAT.

Configurando o servidor SAMBA pelo SWAT

Abra seu navegador favorito e digite no campo de endereço:

http://localhost:901

Isso deverá abrir a janela de configuração do SWAT. Digite o login (root) e a senha. Clique no ícone “Globals”, clique no botão “Advanced View”. Agora iremos configurar as opções mínimas para um servidor Samba:

Workgroup: -> neste campo você define em qual workgroup o servidor Linux se encontrará

Netbios name: -> é o nome com o qual o Linux se identificará na rede Samba (o nome do servidor)

Server String: -> um comentário, uma descrição do servidor

Security: -> deve ser configurado como “user”

Encrypt Passwords: -> aqui depende de quais serão os clientes da sua rede. Se os clientes forem Windows for Workgroups (3.11) ou Windows 95 (ou 95a), configure como “no”. Se os clientes forem Windows 95 (95b ou 95c), Windows 98 (ou 98 SE) ou Windows Me, configure como “yes”. Deve ser feito assim porque as versões antigas do Windows não usavam senhas criptografadas na autenticação pela rede (um recurso que é chamado de “plain-text password”). Por padrão, o SAMBA trabalha com plain-text password (opção “no”), mas você poderá escolher qualquer um dos métodos (ou um ou o outro). Você poderá editar o registro dos Windows com versão mais nova para que autentiquem com plain-text password. Para fazer isso, execute o regedit no Windows: Dois cliques na pasta “HKEY_LOCAL_MACHINE”

Dois cliques na pasta “System”

Dois cliques na pasta “CurrentControlSet”

Dois cliques na pasta “Services”

Dois cliques na pasta “VxD”

Um clique na pasta “VNETSUP”

Um clique com o botão direito do mouse,

Selecione a opção “Novo” e depois “Valor Dword”.

Renomeie esta nova entrada para “EnablePlainTextPassword”

Altere o campo “Dados do valor” para “1”.

E finalmente clique em “Ok”.

Password Level: No Windows não existe diferença entre caracteres maiúsculos e minúsculos nas senhas. As senhas são passadas para o SAMBA totalmente em caracteres minúsculos. Se uma senha é digitada no Windows como “SENHA”, ela será transmitida para o SAMBA como “senha” e o usuário não conseguirá fazer o login no sistema. Com “Password Level” podemos fazer com que o SAMBA teste a senha recebida em minúsculo com uma combinação de “n” caracteres maiúsculos. Por exemplo, se “n” estiver fixado em 2, uma senha recebida como “senha” será testada com até dois caracteres maiúsculos: “senha”, “Senha”, “SEnha” e assim por diante.

Username Level: segue a mesma lógica da opção Password Level, mas afeta o nome dos usuários, e não suas senhas.

Domain Logons: yes -> permite um usuário logar no servidor do domínio. Sem essa opção, mesmo que o usuário digite a senha corretamente, seu login será negado.

Clique no botão “Commit Changes”. Feito isso, seu servidor SAMBA está configurado.

Para iniciá-lo (ainda pelo navegador):

Clique no ícone “Status”

Clique no botão “Start smbd”

Clique no botão “Start nmbd”

Ou pela linha de comandos:

/etc/rc.d/init.d/smb start

Para que o servidor SAMBA seja sempre inicializado junto ao sistema, execute ntsysv e selecione:

[*] smb

Pronto !

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *